Pesquisa Formativa e Revisão de literatura

You are here:
Estimated reading time: 3 min

FACTORES QUE PODEM IMPEDIR O PLANEAMENTO FAMILIAR

 

No que diz respeito ao acesso aos serviços de planeamento familiar e métodos contraceptivos, os adolescentes e jovens são o grupo com baixas coberturas de utilização de métodos de contracepção moderna e com mais necessidades. Existem muitos adolescentes que procuram os serviços, mas porque o acesso é restrito devido a vários factores, nomeadamente, económicos, socioculturais, fraco acesso aos transportes  públicos e ainda tendo em conta a cobertura de serviços sanitários, que ronda nos cerca de 60%.

As barreiras que impedem o Planeamento Familiar não são somente adoptadas pelas mulheres, mas por todos na comunidade. O limitado envolvimento dos homens, entre outras causas por não estarem adequadamente informados sobre os riscos que as mulheres enfrentam durante sua vida sexual e reproductiva, torna difícil qualquer processo que procure resolver os problemas de saúde das mulheres.

As crenças e práticas culturais sobre a contracepção e PF estão também enraizadas nos trabalhadores de saúde, constituindo uma grande barreira e uma razão para a perda de oportunidades em oferecer aconselhamento e serviços de PF, principalmente os de longa duração.

As seguintes expressões resumem alguns mitos mais comuns em Moçambique:

– “ter muitos filhos é sinal de riqueza”;

– “as crianças são uma dádiva de Deus, pelo que não devemos evitar a gravidez”;

– “O PF é para mulheres que tenham muitos filhos” (5 ou mais);

– “Os novos métodos (modernos) contraceptivos provocam infertilidade”;

– “Os métodos tradicionais são os mais eficazes”;

– “O planeamento familiar não é seguro e pode trazer doenças do útero”;

– No geral, os homens consideram que “o PF é só para as mulheres”;

– “As mulheres que estejam a amamentar não precisam de fazer PF”.

– A decisão da mulher aderir ao PF é influenciada pela religião, valores culturais da comunidade e da família (sogras, tia, maridos etc.);

– Durante o puerpério não é habitual procurar os serviços de PF;

– Mesmo procurando não há informação adequada e conhecimento sobre os métodos que uma mulher no puerpério pode usar;

– Regra geral, as mulheres só fazem PF depois da primeira gravidez;

– Os benefícios do planeamento familiar são pouco conhecidos; e

– A maioria das mulheres não fala destes assuntos com os seus parceiros (57%)8, sendo que estes, na maior parte das vezes, proíbem a contracepção.

 

Factores que facilitam a adesão ao PF

O conhecimento sobre os benefícios do PF podem inpulsionar um comportamento de adesão ao serviço: Homens e mulheres precisam saber que:

  • O PF pode reduzir a mortalidade associada à gravidez, parto e pós-parto. A utilização eficaz da contracepção pode reduzir a mortalidade materna por complicações pois dá oportunidade às mulheres a adiarem a gravidez, a espaçarem os nascimentos e a reduzirem o número de gravidezes não desejadas que podem terminar num aborto inseguro na maioria das vezes.
  • Uma fecundidade mais baixa está também na origem de crianças mais saudáveis. As gravidezes pouco espaçadas (intervalo menor que 2 anos) têm mais probabilidade de resultar em bebés com baixo peso à nascença e de interferir na amamentação, que tem um papel vital na nutrição das crianças e no desenvolvimento de defesas contra doenças infecciosas.
  • Adiar a maternidade traz inúmeros benefícios para as mulheres jovens, pois garante-lhes mais tempo para sua educação e desenvolvimento de aptidões que lhes permitam concorrer ao mercado de trabalho e contribuir para os cuidados e orçamento familiar. Um maior controlo da sua fecundidade permite-lhes ter mais possibilidade de melhorar a sua situação de saúde e de fazer suas escolhas, desde que existam oportunidades educativas e económicas a nível local.
  • A ausência de um programa de PF efectivo leva muitas vezes a uma gravidez indesejada ou não programada e em muitos casos à prática do aborto inseguro.
  • A utilização de contraceptivos pode reduzir a ocorrência duma gravidez, permitindo à mulher manter o sistema imunológico forte e ao casal ter uma vida mais saudável, reduzir o número de crianças infectadas pelo HIV através da transmissão

vertical, e reduzir o número de crianças órfãs. A utilização de métodos de barreira também têm grande impacto na prevenção da transmissão do HIV/SIDA na população.

Por outro lado, não existem dúvidas dos potenciais benefícios dos serviços integrados na saúde global e em particular da mulher e criança, pelo que, através dos Serviços de PF podem ser incorporados outros serviços tais como o despiste de cancro de colo, mama e infertilidade.

Documentos de suporte

(Em produção)

Was this article helpful?
Dislike 0
Views: 20